Page 3 of 6

Vendas Offline no Analytics

Se você é como muitos negócios, sua venda não é fechada online e o máximo que você consegue medir é a geração de um lead. Isso pode distorcer um pouco os objetivos financeiros do Marketing Digital, colocando em dúvida ou dificultando a análise dos resultados reais que ele gera para o negócio.

Mas você sabia que é possível rodar a venda no e-commerce do Analytics mesmo que a venda seja offline? É exatamente para esse tipo de demanda que existe a API do Google Analytics. Você pode, por exemplo, programar uma integração com o seu sistema. Quando uma venda é fechada, automaticamente rodar a venda no Analytics. Com isso, você terá uma aproximação dos objetivos financeiros no seu Marketing Digital e assim poder gerir melhor os recursos disponíveis.

Como Testar Eventos

Você acabou de implementar um evento e quer saber se ele está sendo coletado corretamente. Você vai no relatório em tempo real do Google Analytics mas, tem muita gente online no seu site, e você não consegue se achar na multidão. Como fazer?

Crie um tagueamento de parâmetros UTM. Source e Medium dão conta. Ficaria mais ou menos assim: seusite.com.br?utm_source=teste&utm_medium=teste. Acesse essa URL e abra o relatório em tempo real do Analytics. Antes de ir para a sessão de eventos do tempo real, vá para a seção Origens de tráfego.

Agora, procure a origem que você definiu no tagueamento da sua URL. No nosso exemplo aqui foi “teste”. Ao clicar nela, você vai criar uma espécie de filtro para analisar o tráfego em tempo real apenas dessa origem, que no caso, será apenas você mesmo. Agora vá para eventos e faça os seus testes. Se o evento não estiver aparecendo, é porque alguma coisa não saiu como o esperado.

Use Metas Guarda-Chuva

Metas Guarda-Chuva, ou seja lá como você queira chamá-las, cumprem um objetivo específico. Imagine um negócio que trabalha com geração de leads. Geração de leads demanda criatividade. Você pode criar várias formas de captura. Você pode ter um lead mais direcionado ao processo de vendas, pode ter outro que se trata apenas do download de um determinado ebook e assim por diante.

Com a diversificação dessas entradas de lead, você começa a perceber que existem várias metas criadas, uma para cada tipo e também várias categorias de leads. Você pode ter, por exemplo, vários tipos de leads prontos para um contato comercial, cada um com uma meta configurada para si. Mas, e se você quiser saber o total dessas conclusões de meta de leads prontos para um contato comercial? Você poderia simplesmente somá-los, certo? Mas para obter os benefícios de várias outras funcionalidades do Google Analytics seria melhor fazer da seguinte forma:

Criar uma meta guarda-chuva. Essa meta dispara quando qualquer uma das metas desses tipos de lead que compartilham uma categoria em comum são disparados. Você pode trabalhar, por exemplo, com a classificação de leads MQL e SQL ou criar a sua própria. Com isso, vai ficar mais fácil seu acompanhamento diário dessas categorias de leads que você mais utiliza.

3 Perguntas Fundamentais

Avinash Kaushik, reconhecido evangelista do Google Analytics conta que foi abordado pela VP de uma empresa que faz parte do ranking da Fortune 100. Na pergunta dela, ela pedia uma recomendação de qual ferramenta utilizar para melhorar o site da empresa e consequentemente as vendas. Avinash respondeu recomendando não uma ferramenta, mas uma pequena pesquisa no site com 3 questões para entender melhor o seu tráfego:

1- Qual o motivo da sua visita ao site hoje?

2- Você conseguiu completar seu objetivo no site hoje?

3- Se você não conseguiu, por que não?

Geralmente as pessoas pensam que Analytics se trata apenas de dados numéricos ou mesmo de ferramentas X ou Z. É um erro pensar assim. Analytics é um processo de estudo contínuo dos dados e pesquisas qualitativas também são dados. Essas três perguntas são uma ferramenta bastante interessante para entender as motivações do tráfego e tentar ajudar a otimizar o site para todos os objetivos dos usuários. Mesmo que eles não sejam uma conversão com foco comercial, essa boa experiência atrairá mais conversões a longo prazo para seu site e sua marca com um todo.

Aproveitando as Métricas Calculadas

Sabe aquelas métricas que você adora fazer planilha? Por que perder tempo criando planilhas que só vão te dar mais trabalho manual para manter? Sabe o Custo por Aquisição? Custo por Visita? Custo por Lead? Tudo isso pode virar métrica DENTRO do Google Analytics. E agora vamos falar sobre isso.

Na configuração (sessão de administrador) de vista você encontra as métricas calculadas. Lá, você pode deitar e rolar com as possibilidades abertas. Vou dar algumas ideias: o famoso, tão falado e tão pouco calculado: Retorno sobre Investimento. A fórmula para ele seria: ( {{Receita}} – ( {{Custo}} + ( {{Receita}} / 2 ) ) ) / ( {{Custo}} + ( {{Receita}} / 2 ) ).

Outra métrica que é muito falada e que você pode querer no seu Analytics, Custo de Aquisição: {{Custo}} / {{Receita}}. Pense no seu negócio: quais métricas eu gostaria de ter no Analytics? É possível tê-las, basta configurar.

Eventos para Consumo de Conteúdo

Manter um blog hoje é bem comum. Mas, como saber se o seu conteúdo gera leitura? Só olhar taxa de conversão é pouco. Podemos ter uma interação valiosa com conteúdo que deu bounce simplesmente porque leu e quis sair do blog, mas que depois pode voltar e se tornar um cliente. Então, como fazer? Novamente a resposta está nos eventos.

A ideia aqui funciona assim: uma vez que o usuário começar a rolar a página, anote o tempo (isso será feito via programação). Ao chegar ao fim do conteúdo da página, ou seja, a última linha do post, você dispara um evento que contabiliza quanto tempo passou desde a primeira interação (início da rolagem de página). Agora vem a ideia em si:

Crie segmentos para analisar os diferentes tipos de leitores do seu blog. Você pode criar um segmento e chamar de scanners, para usuários que fizeram esse trajeto em menos de 30s ou 60s, o corte é seu e fica por conta dos seus dados. Os leitores serão aqueles que passaram, obviamente, mais tempo nesse processo.

Com essa estratégia de mensuração você dá mais valor ao monitoramento de interações com o seu blog, o seu conteúdo e sua estratégia de marketing como um todo.

Custos de Facebook Ads e Outras Mídias no Analytics

Você deve estar habituado a ver os custos de publicidade do Google Adwords no Google Analytics. Isso é possível graças a um link entre as duas plataformas, disponibilizado pelo próprio Google. Mas, você sabia que é possível ter esses dados de outras plataformas, como por exemplo, do Facebook Ads?

Tudo que você precisa fazer é montar um arquivo CSV no formato solicitado pelo Google Analytics. Você encontra esse formato nas configurações de propriedade em Importação de Dados. Após importar os dados corretamente (teste primeiro em uma view de teste), você poderá começar a analisar o CAC – Custo de Aquisição de Clientes diretamente no seu Analytics e tomar decisões mais rápidas, diminuindo o preenchimento de planilhas. Existem, inclusive, ferramentas que possibilitam a automação dessa importação.

Aproveite mais essa possibilidade para evoluir seu uso da ferramenta e agilizar processos.

Relatórios Diários no Seu Email

Praticamente todo relatório que você vê diretamente no Analytics pode ser enviado para o seu email automaticamente na frequência que você quiser. E a seguir eu vou dar alguns casos de uso.

Um dos casos que eu acho interessante é acompanhar uma nova implementação. Assim que você lança uma série de eventos nova e quer saber se estão sendo capturados corretamente, configure para enviar para o seu email durante todos dias durante alguns dias. Assim você acompanha mais de perto se tudo está sendo capturado como deveria.

Falando em diariamente, outro caso seria para acompanhar métricas importantes, principalmente aquelas que você definiu no seu plano de mensuração ou na sua “Única Métrica que Importa”. Essas, com certeza, devem estar na sua caixa de entrada diariamente. Facilita até pra manter o controle quando se está viajando ou em algum assunto externo, já que abrimos muito mais o email que o aplicativo mobile do Analytics.

Métricas menos primárias podem ser acompanhadas ou semanalmente ou mensalmente. Precisa de algo pontual ou quer mostrar algo para um cliente ou outra pessoa. Você pode enviar apenas um email. Muito útil em vários casos. Colocou uma campanha de Facebook Ads no ar? Que tal um email diário por alguns dias? É uma ótima ferramenta de gestão a disposição de qualquer um.

Boletos Não Pagos no Google Analytics

Boletos representam cerca de 15% das vendas do ecommerce. Desses 15%, cerca de metade não são pagos. Você vai deixar esse processo poluir seu dado de receita no Google Analytics? Melhor não, né?

A dica aqui é migrar para o Comércio Eletrônico Avançado (Enhanced Ecommerce), que tem a função Refund. Você pode integrar sua API com a do Analytics e dar um prazo, depois de alguns dias, se o boleto não for pago, enviar um hit de refund para o Analytics.

Mas, só isso, não resolverá. Você precisará criar uma métrica calculada, onde você subtrai da receita geral a receita estornada. Você pode chamar essa métrica de Receita Ajustada e, com isso em mãos, ter uma análise mais próxima daquilo que chega na conta bancária do seu negócio.

Monitorando Cliques no Tag Manager

Primeiramente, você precisa ter o Google Tag Manager instalado no seu site. Atualmente, ele possui dois trechos de código, o script e o noscript. O script deve ir logo após a abertura da tag e o noscript na abertura da tag , ambos em todas as páginas do seu site.

Agora que você já tem instalado o GTM, você precisa fazer uma pequena configuração antes de começarmos a implementação sugerida nesse post. Abra sua conta e container, entre na seção variáveis e clique no botão configurar. Na seção cliques, procure por click element e ative-o.

Agora vá na seção acionadores, crie um novo. Escolha o tipo clique – todos os elementos. Filtre apenas alguns cliques, onde click element corresponde ao seletor de CSS que iremos procurar da seguinte mandeira:

Clique no botão que deseja criar um evento para monitorar. Clique com o botão direito do mouse e clique em inspecionar. Clique novamente com o botão direito, dessa vez, sobre o elemento de HTML que foi inspecionado. Clique em copiar seletor.

Aí já pode colocar lá no campo que falamos acima, na criação do acionador.

Salve seu acionador e agora é só criar uma tag de evento de Universal Analytics para ele.

« Older posts Newer posts »

© 2021 MyMetric

Theme by Anders NorenUp ↑